5S – A organização no ambiente de trabalho

images (1)Para trabalharmos bem, precisamos estar num ambiente agradável – limpo, organizado, de fácil acesso. Para tanto, precisamos usar o 5S. Veja como estas cinco palavras japonesas podem fazer a diferença em seu local de trabalho.

Dê uma olhada no seu local de trabalho – seja ele uma sala de escritório, uma oficina, um táxi, qualquer lugar  – é um lugar organizado? Devido à correria do dia a dia, não temos tempo para prestarmos atenção nisso. E por isso, em alguns casos, trabalhamos num lugar desorganizado.

Tem gente que acha que este tipo de ambiente indica que os funcionários trabalham bastante, não tendo tempo para cuidar destas coisas. Mas podemos continuar produzindo o suficiente e, ao mesmo tempo, cuidar do nosso local de trabalho.

A primeira coisa que devemos ter em mente é que esta organização é importante. Afeta até mesmo o nosso rendimento no serviço. Quando estamos num lugar organizado, trabalhamos mais animados. Se precisamos procurar alguma coisa como uma ferramenta ou uma nota fiscal, achamos com muita mais facilidade.

Agora, se temos problema com a organização, existem algumas ferramentas que podem nos ajudar. Uma desta ferramentas é o 5S – uma metodologia japonesa para organização de qualquer ambiente.
images
O que significa os 5S? São palavras que, transliteradas para o nosso idioma, começam com a letra S. São elas: Seiri, Seiton, Seisõ, Seiketsu e Shitsuke. Vamos falar um pouco sobre cada uma delas:

Seiri –  senso de utilização – verifica o que é realmente necessário no ambiente de trabalho ( ferramentas, materiais, papéis etc ). O que não está sendo usado é guardado ou descartado. Este processo diminui os obstáculos à produtividade no trabalho.

Seiton – senso de ordenação – enfoca a necessidade de um espaço organizado ( quadro de ferramentas, arquivo de documentos etc ). Dispomos os materiais que precisamos no nosso serviço de maneira a melhorar o fluxo do nosso trabalho e eliminando movimentos desnecessários.

Seisõ – senso de limpeza – a limpeza é uma necessidade diária de qualquer ambiente. Geralmente, em escritórios existe uma equipe que faz esta limpeza. Mesmo assim, podemos ajudar jogando o lixo fora, por exemplo. Existe ambientes, como as oficinas por exemplo, onde os funcionários devem fazer esta limpeza. No final do expediente pode-se tomar alguns minutos para executar esta organização.

Seiketsu – senso de saúde – este senso pode parecer um tanto metódico, mais é importante. Basicamente, ele padroniza as práticas do trabalho, como manter os materiais juntos, canetas com canetas, livros com livros e assim por diante. Favorece à saúde física, mental e ambiental.

Shitsuke – senso de autodisciplina – quando implantamos os últimos quatro S considerados, aplicamos este quinto S para fazer a manutenção e manter a ordem em nosso ambiente de trabalho. É um tanto difícil, pois é necessário fazer com que os funcionários mantenham à ordem no local de trabalho. Devem seguir regras como ” usou, guarde”, “sujou, limpe”. Como eu disse, não é fácil, mas é importante tentar.

Algumas empresas fazem ,periodicamente,  inspeções nos departamentos para a verificação da organização. Pode se nomear alguns funcionários para fazer estas inspeções de tempos em tempos. O objetivo é fazer uma manutenção dos 5S, ajudar na aplicação dos princípios por parte dos funcionários.

Se você nota que sua empresa está com problemas de organização, que tal aplicar os 5S? É fácil, prático e o melhor – aumenta a produtividade dos funcionários! É o que toda empresa quer. images (3)

Anúncios
Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Preservar o ambiente de trabalho organizado contribui para aumentar a eficiência

Organizar o local de trabalho — e mantê-lo dessa forma — economiza tempo, previne imprevistos e perda de documentos, garante melhor imagem profissional, aumenta a produtividade e ajuda a ter foco ao realizar tarefas. Para começar bem 2014, fazer uma faxina na mesa do escritório é uma boa pedida. Nessa hora, é importante ter critério e não apenas manter o espaço aparentemente arrumado. Especialistas explicam que o ideal é sistematizar documentos e objetos para saber exatamente onde cada coisa está e como encontrá-las quando for necessário.

20140106100957742699o

Daniela Vasconcelos, 33 anos, sócia da Guinada Produções Artísticas, resolveu dar fim à bagunça do espaço e contratou uma consultoria. “Agora, começarei o ano de outro jeito. Vou achar tudo o que precisar com facilidade”, comemora. Ela trabalha com outras três pessoas, mas, mesmo com um quadro reduzido, a equipe não conseguia manter o espaço em ordem. “O armário estava uma zona, nada tinha lugar específico. Em cima da minha mesa, ficavam projetos, canecas, agendas… Quase não cabia o computador, de tanta coisa. Para achar um número de telefone, um contrato ou outro documento, já cheguei a levar uma tarde inteira. Às vezes, não encontrava nem caneta”, lembra.

Essa, porém, não é a primeira limpeza geral realizada na empresa. “Às vezes, a gente tira um dia para arrumar tudo, mas não dura muito”, relata Daniela. A consultora Gabriela Brasil, que ajudou a empresária a organizar o espaço, explica que não basta fazer uma faxina: o segredo para manter a ordem está em transformar a sistematização em atividade rotineira. “É um hábito a ser adquirido, aos poucos, como o de praticar exercícios físicos”, exemplifica.

Um bom ambiente de trabalho não precisa ser bonito. “Não é questão de decoração, tudo se resume à praticidade: é preciso achar as coisas de maneira rápida”, afirma a consultora. Aumentar a produtividade e a qualidade e obter eficiência são algumas das vantagens. “Bagunça traz atrasos, estresse e desgaste, porque, num ambiente desorganizado, perde-se, em média, 40 minutos por dia, procurando um documento ou um objeto. É muito tempo desperdiçado”, avalia. A organização do local de trabalho funciona, inclusive, como cartão de visita. “Uma mesa organizada é mais vistosa e dá credibilidade, enquanto a imagem de um ambiente caótico é muito ruim para o profissional, pois parece que é uma pessoa perdida.”

Sem perder tempo

Mônica Valentim trabalha no departamento de marketing do Comitê Paralímpico Brasileiro e sabe da importância da organização para se sair bem na área. Em meio à rotina agitada, ela não pode perder tempo procurando informações e precisa saber onde tudo está. “Gerencio as carreiras de 50 atletas. Separo cadastros, contratos e documentos de cada um em pastas. Viajo muito e, quando preciso de algo, ligo para alguém e sei dizer onde está qualquer arquivo”, detalha. O espaço de trabalho de Mônica é exemplar. “Sou extremamente organizada, as pessoas até tiram sarro de mim. Na minha baia, guardo tudo em pastas e gavetas. Em cima da mesa, só ficam computador, telefone, calendário e uma caixa de entrada e de saída para documentos pendentes”, conta. A jovem mantém uma agenda profissional e uma pessoal e não esquece nenhum compromisso. “É inaceitável esquecer uma reunião ou uma demanda. Não gosto de confiar na memória, por isso, usar a agenda é muito importante.”

Nem todos têm a tendência natural de Mônica, mas a personal organizer Adriana Feitosa garante que é possível adquirir essa habilidade. “É só ter boa vontade. É como uma dieta, é difícil se acostumar, mas os resultados dão ânimo para continuar”, afirma. Adriana alerta que o importante é o ambiente estar organizado, e não apenas arrumado. “Parece que é a mesma coisa, mas não é. A diferença está na praticidade. Num local arrumado, você guarda os objetos sem critério. A organização tem critérios: tudo fica disposto de forma que você encontre com facilidade”, explica.

O analista de suporte Ramon Rodrigues, 24 anos, é a prova de que dá para se tornar uma pessoa organizada. Até a adolescência, ele não se importava em deixar cadernos, uniformes e outros itens jogados no quarto. Quando começou a trabalhar, mudou de atitude. Com determinação, adotou o hábito em casa, no trabalho, na vida pessoal e até na financeira. “Bagunça me incomoda e atrai más energias. Um ambiente organizado é muito mais agradável para trabalhar.” Na área de programação em que atua, organização digital é muito importante. “Tenho pastas separadas para arquivos pessoais e de trabalho. Deixo mais visíveis os aplicativos mais usados. No meu e-mail, crio subpastas e categorias e otimizo minha atividade”, diz.

Home office
Quem trabalha em casa também precisa se preocupar com a organização do espaço e sistematizá-lo. “O home office não rende se a pessoa não for organizada. É preciso criar um ambiente prático e ter horário de trabalho fixo, mesmo para atuar no próprio lar”, destaca a consultora Gabriela Brasil. Filipe Fernandes, 25 anos, trabalha como designer em casa e tem motivos de sobra para não deixar a bagunça tomar conta do ambiente em que ele passa a maior parte do tempo. “Fico desesperado e não consigo me concentrar em locais bagunçados. Em cima da mesa, fica só o que uso o tempo todo: computador e agenda. Além disso, um quadro branco ajuda a dividir minhas atividades ao longo do tempo.”

Tudo no lugar certo
» A mesa deve estar o mais limpa possível e não abarrotada de papéis, enfeites e fotos. Além de computador e telefone, deixe lá o que precisa ter sempre à mão, como agenda e calendário.
» Todos os papéis devem estar categorizados, separados em pastas. Outros objetos devem ter local definido. Assim que terminar de usar, devolva para onde estava.
» Organize e identifique tudo de forma que qualquer pessoa possa encontrar, caso você esteja de atestado médico e precise resolver uma pendência, por exemplo.
» Evite a papelada. Quanto mais documentos puderem ser mantidos no computador e não no papel, melhor.
» Num quadro magnético ou painel, mantenha visível uma lista com telefones úteis e um panorama de atividades a fazer.

Fontes: Adriana Feitosa e Gabriela Brasil.

Três perguntas para Ivo Corradi, consultor em organização no trabalho

Por que é importante manter o local de trabalho organizado?

Esse é o ambiente onde você passa boa parte do tempo. É importante ter um lugar em que se sinta tranquilo e não fique olhando para um monte de coisas sem saber o que fazer. Quando você se depara com uma montanha de papéis ou de arquivos eletrônicos, perde tempo procurando o trabalho.

Como você sugere que os documentos sejam classificados?
Separe os arquivos entre as categorias ‘trabalho’, ‘consulta’ e ‘delegar’. Na primeira, entra tudo o que exige ação. Na segunda, estão materiais que contêm informações importantes. Na terceira, o que você coordena e precisa delegar a outras pessoas. O que não tiver mais uso, vai para o lixo. É claro que você pode ainda criar subcategorias. Mantenha à sua frente apenas o que exige providências para aquele dia ou aquela semana. Material de consulta pode ficar numa gaveta. Assim, você vai se sentir aliviado ao perceber que não tem tanto para fazer como imaginava.

Como os arquivos físicos e eletrônicos podem ser dispostos?
No sistema papel, o mais eficiente é ter uma pasta suspensa com índice visível porque é possível visualizar todas as etiquetas e saber onde tudo está. Para separar e-mails, crie pastas ou marcadores, selecione para onde eles devem ir assim que chegam, não deixe que se acumulem na caixa de entrada. Você gasta um tempinho para separar as mensagens eletrônicas, mas é menos tempo do que se tiver que procurar os e-mails cada vez que precisar.

O que acha de fazer estender o seu conhecimento – faça o curso através do link –  http://www.ciatech.com.br/curso/organizacao-no-trabalho/

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Traga Espiritualidade para a sua vida profissional

Nelson Fukuyama*

Uma constatação: quem aplica sua espiritualidade no mundo profissional tem maiores chances de conseguir grandes conquistas. Quer melhor prova que empresários, atletas e artistas que conseguiram por conta de sua espiritualidade atingir um patamar mais alto na sua vida profissional? E essa espiritualidade não é restrita, podemos encontrar exemplos em diferentes segmentos, ou seja, o nome da divindade e as formas de manifestação podem variar, e por isso podemos encontrar exemplos em países cristãos como em países não cristãos.

E isso contradiz o que estamos acostumados a ouvir de que “cada um tem a sua fé e a sua religião”, que “religião não se mistura com a vida profissional ou com negócios”. Basta observar os jogadores de futebol, por exemplo, que entram em campo com um sinal da cruz ou uma oração assim como trabalhadores de diferentes níveis sociais costumam orar, ou rezar, ao sair de suas casas para qualquer atividade ou ao entrar na empresa ou ainda ao começar uma atividade.

Sem querer vincular espiritualidade à busca de prosperidade há um outro lado bem positivo para o profissional, e que não deixa de ser interessante para a empresa. É que ela leva um profissional a um patamar mais elevado do que pleitear um cargo, um aumento, uma compensação material. Quem crê em um ser superior respeita tudo, a hierarquia da empresa na qual trabalha, as regras, procedimentos e normas, seus colegas de trabalho. Em tudo ele vê o valor espiritual. Portanto, usa os equipamentos de trabalho de maneira adequada, gasta com parcimônia os valores e o tempo, não se deixa envolver em atividades ilegais.

Claro que você pode duvidar e até não concordar que ainda existam profissionais assim, afinal temos tantos maus exemplos em todo segmento e em todo canto do planeta. Mas, creia, ainda há sim pessoas que se portam de acordo com suas condutas espirituais.

Há um forte argumento para você começar a se preocupar em trazer espiritualidade para a sua vida profissional: o que você se diz quando se pergunta, por exemplo, por que trabalha tanto e não vê resultado do seu trabalho?

Talvez uma boa resposta para essa sua dúvida e sentimento seja dois trechos do livro de Salmos da Bíblia cristã:

“Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam…Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono”. Salmos 127:1-2.

Ou seja, explicando de uma forma simples, se Deus não estiver abençoando a sua empresa e o seu negócio, porque ele pode não ser legal, ético, os resultados para ela e para você e todos os colaboradores vão realmente demorar a aparecer, se aparecerem. Se você não estiver agindo de acordo com as leis espirituais, não adianta mesmo ficar se matando de trabalhar em horas extras ou normais, passando privações ou por provações, pois dificilmente você verá o reconhecimento de seu trabalho.

Portanto, caso você ainda não esteja colocando em prática a sua espiritualidade, qualquer que seja a sua linha de entendimento, sempre haverá uma oportunidade para começar. Comece a partir de já, lembrando o que ouviu no sermão deste final de semana ou que já sabe ou que leu em algum lugar. Comprometa-se a adotar esses princípios na sua vida profissional. Aja sempre de acordo.

Eu tenho certeza de que você verá mudanças para melhor. E se quiser pode me enviar um email para nelson@dicasprofissionais.com.br dizendo se isso não é verdade.

Deus abençoe você!

*Nelson Fukuyama, é Diretor da Yama Educacional, Editor-Chefe e Autor de artigos do portal DicasProfissionais. Foi Auditor, Controller, Superintendente e Diretor de Administração, Finanças e Recursos Humanos de empresas nacionais e multinacionais e também Consultor de Empresas e Negócios.

A reprodução total ou parcial é autorizada desde que citada a autoria e o portal Dicas Profissionaiswww.dicasprofissionais.com.br

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O eterno conflito entre vida pessoal e vida profissional

Valdessara Bertolino*

Um dos grandes desafios dos profissionais inseridvendas 1os no mundo do trabalho neste novo milênio, independentemente de gênero ou de profissão, é ter e manter a qualidade de vida. Todos buscam por esta qualidade, cada um à sua maneira. Porém, um dos maiores enigmas para quem tem uma carreira é justamente a ideia de separar a vida pessoal da profissional.

Entrar no escritório, trabalhar e ao fim do dia ir para casa e viver uma vida plena e feliz junto à família é o sonho de consumo de qualquer profissional. Para os trabalhadores, no entanto, que não são super-homens ou super-mulheres, conciliar suas atividades profissionais com o tempo livre está longe de ser uma tarefa simples a ser conquistada. O ideal é que não devemos levar problemas de casa para o trabalho e vice versa. Esta prática é necessária e imprescindível, porém será uma realidade? Aparentemente parece impossível e também inviável, ainda mais no momento em que vivemos, no qual as empresas estão atentas aos seus funcionários em todos os sentidos.

Haja vista inclusive o monitoramento dos funcionários nas redes sociais e o acesso deles a sites nos computadores da empresa. Segundo especialistas, o trabalho interferiu de tal forma na vida do indivíduo que o perfil do profissional mudou. O trabalhador atual passa a ser muito mais requisitado, e em contrapartida, dedica menos tempo às suas atividades de lazer e família.

No passado, por mais que se tivessem pendências a serem resolvidas, nada poderia ser feito fora do escritório, da fábrica ou de qualquer outro ambiente de trabalho. Há muito tempo a vida profissional deixou de se resumir a oito horas diárias de trabalho no escritório e passou a exigir dedicação em tempo real. Com o avanço tecnológico, o profissional não se desconecta das questões do seu dia a dia e assim chega a trabalhar 24 horas.

Dentre os fatores que contribuíram para a existência de certa confusão entre o trabalho e a vida pessoal, estão a globalização e o avanço das comunicações em função da tecnologia, fazendo os valores profissionais tomarem mais espaço na vida das pessoas (ROBBINS, 2009, p14).

Assim, exige-se cada vez mais dedicação e empenho dos profissionais. As pendências de trabalho deixaram de pairar como uma névoa para realmente tomar conta da vida das pessoas. Hoje, o trabalhador não entra às oito da manhã e sai às seis da tarde. E mesmo que isso ocorra, ele tem ferramentas como o notebook e o celular que o acompanham onde ele estiver. Assim, não há um desligamento entre o profissional e o pessoal. O profissional moderno se depara cotidianamente com inúmeros desafios que consomem muito além das suas horas efetivamente contratadas e remuneradas no ambiente de trabalho. Assim ele vai se alienando e vivendo num universo paralelo.

Hoje, é comum vermos a figura do workaholic (expressão americana que teve origem na palavra alcoholic (alcoólatra) e serve para designar uma pessoa viciada, não em álcool, mas, em trabalho). As pessoas viciadas em trabalho sempre existiram, no entanto, nos últimos tempos acentuou-se sua existência motivada pela alta competitividade, pela vaidade, ambição, necessidade de sobrevivência ou ainda por alguma necessidade pessoal de provar algo a alguém ou a si mesmo.

O mais importante a se levar em conta é o equilíbrio que deve existir entre vida pessoal e vida profissional. O trabalho e o lazer devem caminhar na mesma direção. A vida não pode ser só trabalho. É necessário ter descontração para o bem-estar psicológico e emocional do indivíduo. Devemos sempre lembrar que a base para ser uma pessoa bem sucedida na vida é o tripé entre trabalho, família e saúde.

O equilíbrio desses pontos resulta em uma pessoa plena e feliz, satisfeita com o que faz e preparada para melhor enfrentar os inúmeros desafios que a vida impõe.

O profissional atual trabalha muito e colhe bons frutos de seu trabalho, como bons salários, benefícios, reconhecimentos da empresa, dentre outros itens que podem ser comprados. Porém, a felicidade não se compra. O salário normalmente traz conforto para a família.

Mas, o principal e, mais simples, é esquecido: a presença. A família e principalmente os filhos querem o pai e/ou a mãe presentes no seu dia a dia, participando das atividades em conjunto, para que possam estar seguros e ter boa base para crescerem fortes e formarem futuramente, famílias bem estruturadas. Lembrando sempre que a base da sociedade sempre será a família.

* Valdessara Bertolino é coordenadora dos cursos de Secretariado Executivo e Organização de Eventos da Faculdade Anhanguera de Osasco.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O que é necessário para um profissional se destacar?

Eduardo Shinyashiki*livro 3

A vida sempre está em constante movimento e o ser humano é convidado a se movimentar junto ao ritmo dela, a se tornar melhor, mais consciente e atento às próprias reações, comportamentos, escolhas e objetivos.

No contexto profissional, é importante se perguntar como se tornar um trabalhador melhor, com características únicas e diferenciado na empresa ou organização em que trabalha. Quais as atitudes e qualidades a serem desenvolvidas para isso?

Um ponto importante é conhecer bem as responsabilidades da função. Ter claro o que faz parte do cargo e pedir ao superior para esclarecer as tarefas do dia a dia, caso não tenha isso transparente, permite que a pessoa possa se organizar melhor no seu trabalho, evitando perder tempo ou deixar para última hora os compromissos.

Consequentemente, isso nos leva a outra questão fundamental: a gestão do tempo. Ele é importante e saber respeitar o próprio e o dos outros é uma característica essencial para um profissional que se destaca dos demais.

Podemos organizar melhor o tempo à disposição por meio de um planejamento adequado dos objetivos e da definição de prioridades e, além disso, respeitá-las, organizando o espaço de trabalho, concentrando as tarefas importantes ou mais criativas nos momentos de maior pico de energia (por exemplo de manhã, mas depende de cada pessoa).

Outro ponto é saber trabalhar em equipe e ter flexibilidade para gerar mais harmonia nas relações interpessoais. A capacidade comunicativa e a condivisão das informações e das metas facilitam a colaboração em grupo, permitindo que os relacionamentos se tornem laços importantes para o sucesso de todos os envolvidos.

Para ter confiança como profissional é preciso agir como “dono do negócio” e “microempresário”. Saber desenvolver o próprio trabalho sem que alguém precise controlar e fiscalizar, fortalece a autodisciplina necessária para ir em direção aos resultados. Ela fortalece a força de vontade, a determinação, a perseverança, a autoconfiança e a autorrealização.

Como o conceito japonês de Kaizen nos ensina, é sempre possível fazer melhor. Kaizen significa “mudança para melhor”, ou seja, uma melhoria contínua e gradual na vida em geral.

Errar é humano, não somos máquinas. O objetivo do profissional diferenciado não é ser perfeito, mas progredir dia após dia, melhorando sempre, aprendendo e evoluindo no seu caminho pessoal e do trabalho.

*Eduardo Shinyashiki é palestrante, consultor organizacional, escritor e especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes. Presidente da Sociedade Cre Ser Treinamentos, colabora periodicamente com artigos para revistas e jornais. Autor dos livros: Viva como Você Quer Viver, A Vida é Um Milagre e Transforme seus Sonhos em Vida – Editora Gente. Para mais informações, acesse www.edushin.com.br. É também Colunista do portal Carreira&Sucesso onde este artigo foi publicado.

Imagem | Publicado em por | Deixe um comentário

Como manter o foco e a inspiração em tempos difíceis

PESSOAS 3“Nenhum pessimista jamais descobriu o segredo das estrelas ou navegou para terras desconhecidas, ou abriu novos caminhos para o paraíso”, observou Helen Keller. Neste mundo confuso em que vivemos, uma dose saudável de otimismo vai nos ajudar a lidar com os desafios diários, mantendo-nos inspirados mesmo diante das dificuldades. Mas somente o hábito do pensamento positivo não é suficiente. Para realmente superar os obstáculos inevitáveis que aparecerão em seu caminho, você deve aprender estratégias específicas para gerenciar contratempos e transformar as dificuldades em força. Robin Sharma, autor de Mega-living (ainda sem tradução no Brasil) e sócio da Sharma Leadership International, oferece-nos este mês cinco pontos para manter a motivação, a inspiração e o foco ao lidarmos com dificuldades:

1. Procure pelas oportunidades: O grande filósofo motivacional Napoleon Hill disse certa vez que cada dificuldade em nossas vidas contém uma semente de oportunidade equivalente. A pessoa de caráter verdadeiro tem a coragem de encontrar essa semente e aproveitá-la, de forma a caminhar para novos níveis de sucesso. Problemas fazem parte da nossa vida. As únicas pessoas que não têm com o que se preocupar estão enterradas. Ao defrontar-se com um aparente fracasso ou rejeição, pergunte-se simplesmente: “O que posso aprender com isso?”. Use então essa experiência para crescer de forma mais eficaz no que você faz. Lembre-se de que o fracasso é a estrada do sucesso. Como notou J.P. Guilford: “Viver é ter problemas, e resolver problemas é crescer intelectualmente”.

2. Visualize um dia melhor: Uma das melhores e mais poderosas maneiras de manter o foco e as energias ao deparar-se com um problema é simplesmente fechar os olhos e visualizar um dia em que tudo será muito melhor. Visualize as coisas indo do jeito que você gostaria que fossem. Mentalize esse mundo ideal acontecendo de forma vívida, e conecte-se emocionalmente com a sensação de bem-estar que você terá uma vez que chegar lá. Jonas Salk, criador da vacina antipólio, disse certa vez: “Eu tive sonhos, e eu tive pesadelos. Eu superei meus pesadelos por causa dos meus sonhos”. Ao ancorar-se com uma visão positiva do futuro, você se manterá motivado, não importa quão dura seja a sua realidade atual.

3. Conecte-se à verdade: Existe certas “verdades” e “leis naturais” do sucesso que não mudam com o passar dos anos. Infelizmente, com o ritmo acelerado em que a maioria de nós vive atualmente, freqüentemente perdemos de vista essas verdades, como por exemplo: “Antes de toda grande vitória existem grandes adversidades” ou “Aprendemos e crescemos com nossos maiores fracassos” ou ainda “Ninguém consegue deter quem se nega a ser detido”. A simples disciplina diária de ler livros inspiradores, motivacionais ou simples textos de grandes filósofos antes de ir dormir, ou a primeira coisa pela manhã, vai fazer com que você se reconecte com essas verdades. Essa sabedoria vai inspira-lo pelo resto do dia, e os seus problemas não parecerão tão grandes assim.

4. Selecione, reflita e corrija: A reflexão é a mais poderosa arma que existe no mundo dos negócios, mas também é uma menos utilizadas. O cientista francês Blaise Pascal refletiu certa vez que “Todas as misérias do ser humano são provocadas por ele não conseguir sentar-se, quieto, sozinho num quarto”. O hábito de ir regularmente a um lugar sossegado e refletir sobre as causas, soluções e – por que não? – benefícios de um determinado problema que você pode estar enfrentando melhorará enormemente o nível da sua eficácia pessoal e profissional. Pensar profundamente sobre as coisas que você tem feito (e como tem feito) vão ajuda-lo a conhecer-se melhor – o que, por outro lado, vai ajudar a prevenir futuros erros. Faça com que os seus erros no passado tenham servido para alguma coisa. Transforme pedras nas quais você tropeçou em degraus para o sucesso. A não ser que você reflita, e depois corrija, os erros do seu passado, você estará fadado a repeti-los

5. Mantenha a perspectiva: Stephen Hawking, um dos maiores pensadores e cientistas da atualidade, notou que vivemos num planeta pequeno de uma estrela (sol) mediana, localizado nos limites externos de uma das centenas de milhares de galáxias que existem. Vendo a coisa desse jeito, será que seus problemas são realmente tão significantes? No calor da coisa, quando estamos metidos até o pescoço no problema, nossas dificuldades podem parecer calamidades gigantescas. Com o passar do tempo, passamos a ganhar uma perspectiva daquilo, e ver que geralmente a coisa não era tão grave assim. Todos os grandes profissionais, em qualquer área, têm fortemente desenvolvida a capacidade de colocar contratempos na sua perspectiva correta, aprendendo e depois avançando novamente com confiança em busca de seus sonhos. Nunca perca de vista o fato que você tem impacto na vida das outras pessoas, e que você pode fazer a diferença. Isso talvez seja o mais importante. Como disse o poeta Rumi, um dos preferidos de Deepak Chopra: “Quando você estiver morto, procure por um lugar de descanso, não na terra, mas no coração dos homens”. Palavras sábias, de um homem sábio.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

10 características dos seus clientes hoje – você está preparado?

download
Por Raúl Candeloro

Antes de mais nada, muito obrigado a todos que participaram da votação sobre a história que deveria receber o champagne.

Muita gente se emocionou com o depoimento das duas pessoas e até nos mandaram mensagens que tinham ficado motivadas só de ler as histórias.

Tenho que admitir que não tinha pensado nisso, mas se motivou… Melhor ainda!

Resultados saem em breve. Por enquanto, empate técnico!

Recado dado, vamos agora ao conteúdo desta semana: 10 características dos seus clientes hoje.

Tenho falado com muita frequência sobre a necessidade de diferenciar-se para concorrer.

Como existe ainda muita dúvida sobre isso, resolvi criar uma lista rápida com assuntos que têm surgido nos trabalhos que os alunos do GEC (Gestão de Equipes Comerciais) e APV (Alta Performance em Vendas) me mandam.

Características dos clientes atuais – você está preparado?

1) Seus clientes estão cada vez mais conectados – Twitter, Facebook, Linkedin, Youtube. E falando abertamente sobre suas experiências de compra.

2) Clientes hoje pesquisam cada vez mais na internet antes de comprar de você. Google! Bing!

3) Clientes hoje qualificam muito melhor seus fornecedores e se preparam muito melhor para comprar do que vendedores e empresas qualificam seus clientes e se preparam para vender.

4) Clientes hoje valorizam cada vez mais a praticidade, a agilidade e a facilidade de fazer compras com você.

5) Clientes hoje são fortemente orientados para VALOR, lembrando sempre que a equação de VALOR é igual a BENEFÍCIO / PREÇO (benefícios divididos pelo preço). Ou seja: ou seus benefícios são muito ALTOS (fortes, claramente definidos e muito bem comunicados), ou a parte de baixo da equação é que vai sofrer (preço BAIXO!).

6) Clientes hoje entendem que o relacionamento não termina depois da compra.

7) Clientes hoje esperam que você os eduque e ensine a comprar melhor, a usar melhor o produto, a tirar o máximo proveito de serviços, a saber de novidades, tendências, lançamentos, novas ideias.

8) Clientes hoje provavelmente sabem mais sobre a concorrência do que você.

9) Clientes hoje compram 24 h por dia, 7 dias por semana.

10) Clientes hoje são extremamente céticos. Prove! (Dica do Raúl: use testemunhais de clientes satisfeitos).

A lista é bem maior, incluindo meu Decálogo do Cliente, mas esses 10 pontos acima já permitem uma boa avaliação e reflexão.

Que nota você se daria em termos de preparo para lidar com essa nova realidade dos clientes atuais?

Inclusive, esta é uma boa lista para compartilhar, debater e discutir em grupo. Quem mais na sua empresa deveria ler isso?

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário