Liderança – Resultados e Pessoas

Este slideshow necessita de JavaScript.

James Champy deu início ao seminário ‘Resultados Através das Pessoas’ falando sobre o papel de pessoas e processos na criação de valor de empresas extraordinárias

O chairman da Dell-Perot Systems, reconhecido como um dos maiores especialistas do mundo em questões de liderança, gestão, mudança organizacional e reengenharia de negócios, começou o Seminário HSM James Champy, realizado no dia 5 de agosto, afirmando que a natureza do trabalho precisa ser repensada de uma perspectiva horizontal. “Não pense só em vendas e marketing, mas em aquisição de cliente. É preciso repensar a natureza do trabalho como um todo”. James Champy fez um paralelo com a reengenharia do passado, afirmando que até hoje, quando se fala em reestruturar, automaticamente as pessoas pensam em diminuir a equipe, e ainda assim os dirigentes pensam que os funcionários vão se tornar mais eficientes.

Ele chamou a atenção para a questão da sensibilidade para pessoas e o papel delas nas organizações. “Qualquer mudança maior dentro de uma empresa, cria processos de mudança. Isso envolve diminuir custos e melhorar desempenho”. O professor explicou que a natureza da mudança antigamente gerava ruptura, e isso fazia com que se criticasse a falta de sensibilidade com relação às pessoas, e que hoje a natureza da cultura da empresa muda este quadro. “Mas isso só se percebeu nos últimos cinco ou dez anos”, ressaltou, enfatizando que as mudanças corporativas exigem mudanças na maneira de pensar das pessoas. Afinal, o que é preciso para mover o pensamento das pessoas?, questionou o especialista.

Processos, tecnologia e inovação

Para James Champy, pessoas, processos e tecnologia se unem para inovar, inspirar clientes e para trazer excelência operacional para organizações de alto desempenho. Ele afirmou que os valores e as convicções que as pessoas de uma empresa têm em comum, geralmente se manifestam no seu comportamento. Mas será que uma organização é capaz de mudar sua cultura e/ou seus comportamentos? O professor explicou que o desafio não é fazer um novo projeto de um processo, mas sim fazer com que uma organização mude o seu comportamento e se adapte. “Eu acreditava que em um ou dois anos era possível mudar a cultura de uma organização. Ao longo do tempo eu acabei entendendo que não se muda a cultura de uma empresa, mas sim o comportamento organizacional. Você precisa saber usar os valores e crenças para atingir mudanças comportamentais que você quer ou precisa”.

Portanto, não deve-se mudar como as pessoas pensam e depois o que fazem, primeiro muda-se o que elas fazem, e isso sim vai mudar como elas pensam. “Se você quer mudar o jeito das pessoas pensarem para que elas realizarem coisas diferentes, você primeiro muda a natureza do trabalho, tem que fazer experimentar a mudança física do trabalho”. Champy ressaltou que quanto mais depressa as pessoas se adaptarem às mudanças, maior será o seu sucesso.

Envolvendo o cliente – high-tech + high-touch

O professor reconheceu que a tecnologia permitiu que as empresas se tornassem drasticamente mais eficientes e afirmou que novos empregos serão criados por novos negócios e que os clientes continuarão exigindo e esperando obter mais por menos. “Não estamos vivendo uma recessão, mas um período de reestruturação econômica. Este é o melhor momento para argumentar e fazer mudanças. “Se você quiser alcançar o cliente hoje, você precisa alcançar os valores do cliente”.

Para Champy, uma das grandes vantagens de épocas difíceis é que você começa a tomar decisões mais duras. Contudo, chamou a atenção dizendo que tempos difíceis são também tempos de grandes oportunidades, porque existe a necessidade de mudar, porque as pessoas elaboram novos modelos de negócio, porque os modelos de negócio estão mudando: hoje são mais enxutos e dimensionáveis.

Para Champy, é possível encontrar ideias em muitos lugares, uma vez que inovação diz respeito tanto a processos como a produtos. Ele acredita que a maioria dos novos modelos de negócio exige uma combinação de alta tecnologia [high-tech] e contato intensivo com o cliente [high-touch]. “Envolver o cliente significa alinhar-se com os valores dele – autenticidade é imprescindível”. Ele destaca ainda que existem recursos disponíveis para inovação, mesmo em épocas conturbadas, mas decisões difíceis têm de ser tomadas. “A eficiência pode contribuir para melhorar a qualidade”, afirmou.

Durante sua apresentação, Champy destacou os seguintes princípios que geralmente acabam esquecidos nas organizações:

• É possível encontrar ideias em muitos lugares. Inovação diz respeito tanto a processos como a produtos.

• A maioria dos novos modelos de negócio exige uma combinação de alta tecnologia [high-tech] e contato intensivo com o cliente [high-touch].

• Envolver o cliente significa alinhar-se com os valores dele – autenticidade é imprescindível.

• Existem recursos disponíveis para inovação – mesmo em épocas conturbadas, mas decisões difíceis têm de ser tomadas.

• A eficiência pode contribuir para melhorar a qualidade

Publicado por HSM –http://www.hsm.com.br/artigos/resultados-e-pessoas

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s